CCB e GAC esclareceram as dúvidas sobre a Lei do Bem para as empresas

Assunto foi discutido em live realizada na semana passada

No dia 9 de junho, o CCB realizou uma ‘live’ com a GAC Group cujo objetivo foi esclarecer as dúvidas sobre a Lei 11.196/05 (capítulo III, artigos 17 a 26), conhecida também como “Lei do Bem”.

A live foi mediada pelo consultor de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação do CCB, Marcelo Dezena, com a participação da consultora de Engenharia e Sustentabilidade do CCB, Amanda Neme e a gerente de Contas Estratégicas da GAC Group , Bianca Bonfiglioli.

Bianca explicou que a GAC possui quase 20 anos de experiência no incentivo e gestão à inovação. “Nosso objetivo é potencializar a inovação nas empresas”, disse.

A respeito da Lei do Bem, Bianca explicou que trata-se de um incentivo fiscal/ legislação Federal de 2006 que estimula as empresas brasileiras a investirem na pesquisa e no desenvolvimento tecnológico. “O grande benefício dessa legislação é a redução na carga tributária, até mesmo do Imposto sobre os Produtos Industrializados (IPI) na compra de ferramentas, máquinas e instrumental, pois um terço do que a empresa investe em pesquisa e inovação tecnológica fica como ganho de caixa da empresa”, falou.

Dezena aproveitou para explicar que a Lei do Bem é ainda muito pouco usada no Brasil e precisa ser mais explorada, além de ser uma fonte na retomada pós-pandemia do Coronavírus. “Essa é a hora da inovação e de investir nela, pra que a empresa possa sair na frente”.

Amanda Neme explicou também que o mercado nacional tem muitas oportunidades, principalmente para apostar em inovação. “Nós olhamos sempre muito para dentro da indústria que tem muito ainda a crescer como, por exemplo, em gestão ambiental. O parque fabril já possui alta tecnologia, mas falta inovar em soluções construtivas, já que a construção civil é a maior geradora de resíduos sólidos, então precisamos reduzir o impacto e industrializar as obras”, disse Amanda falando sobre os desafios internos e externos da sustentabilidade. “Além de reduzir o impacto ambiental, a empresa só tem a crescer, gerando uma economia circular, já que a o setor possui uma alta dependência energética e isso é inovar e ser relevante na sua indústria para a sua perenidade”, disse.

O CCB, como um Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT) é um centro detentor de conhecimento dentro da cadeia de inovação, apoia e desenvolve tecnologia. “O CCB está se modernizando e tornando esse apoio direto à cerâmica. Sendo assim, queremos ser os primeiros a serem ouvidos nessa área atuando desde o desenvolvimento de matérias –primas, melhorias de processo, de produtos, da qualidade dos produtos, sejam eles de bloco, telha, fibrocimento e atendendo às normas de desempenho”, disse Marcelo reforçando que o CCB está apto para auxiliar as empresas para um desenvolvimento conjunto de inovação. “O problema da indústria é a nossa ferramenta de trabalho e, dentro disso, temos vantagens relevantes dentro da Lei do Bem”, finalizou.

 

A importância de uma ICT nos projetos de inovação

As atividades realizadas com os institutos de pesquisa (ICT), que é o caso do CCB, segundo Bianca, são perfeitamente possíveis de se alinharem, e se beneficiarem com a Lei do Bem, principalmente com relação ao desenvolvimento de um plano estratégico de inovação tecnológica nas empresas. “ Por isso, o foco da GAC é alinhar essas competências e o foco das empresas em potencializar a inovação”, falou.

E o CCB, de acordo com a Amanda, é o grande alicerce da pesquisa. “Temos um grupo de pessoas com alta capacidade e conhecimento laboratorial de ponta, que atende a indústria cerâmica como um todo, para inovar soluções e ir mais além como o braço técnico da indústria”, disse.

 

Lei do Bem

Existem alguns pré-requisitos para as empresas na obtenção dos incentivos fiscais, como: estar em regime no Lucro Real, com Lucro Fiscal, empresas com regularidade fiscal (emissão da CND ou CPD-EN) e empresas que invistam em Pesquisa e Desenvolvimento.

Para mais dúvidas referentes ao tema, entre em contato com os participantes desta Live: Marcelo Dezena: [email protected]; Amanda Neme: [email protected] e Bianca Bonfiglioli: [email protected] e confira o vídeo na íntegra através do link: https://www.youtube.com/watch?v=qXZNrgOsNdQ e tire suas dúvidas.