6ª Prêmio Nacional ASPACER de Design e 7º Fórum Nacional de Design para Revestimentos Cerâmicos acontecem em agosto

Importantes eventos de Design do país serão realizados simultaneamente nos dias 21 e 22 de agosto na Aspacer

        O Design deve ser universal, compreendido, assimilado e percebido pelo maior número de pessoas possível, principalmente quando se fala de um setor com competitividade internacional, como é o caso do setor de revestimentos cerâmicos brasileiro. Sua identidade, através do design, enaltece e usufrui da brasilidade como grande diferencial.

Pensando nesse conceito, a Aspacer , com o apoio do CCB, realizará nos dias 21 e 22 de agosto, o 7º Fórum de Design para Revestimentos Cerâmicos que traz com tema, “Design e Identidade”, convidando os profissionais que têm experiências na pesquisa, ensino e desenvolvimento criativo, utilizando a Identidade brasileira como referência primordial a participarem de palestras e workshops.

O evento acontecerá simultaneamente com a 6ª edição do Prêmio Nacional ASPACER de Design, cujo objetivo é descobrir e estimular os novos talentos da área de criação das indústrias cerâmicas e incentivar a inovação de produtos, valorizando o trabalho desenvolvido por esses profissionais.

Nesta edição do evento estarão participando 31 empresas que estarão expondo 56 painéis. Os participantes são funcionários responsáveis pelos setores de criação e desenvolvimento de produtos de indústrias cerâmicas e fornecedores. O julgamento dos trabalhos acontecerá no dia 21 de agosto, por profissionais renomados que de diversas formas, estão ligados a área de design e produtos no mercado.

 

Sobre o 7º Fórum Nacional de Design para Revestimentos Cerâmicos

De acordo com o designer do CCB, responsável pelo comitê técnico do Fórum e Presidente do júri do Prêmio, Marcos Serafim: “o tema desta edição do Fórum foi escolhido porque acreditamos que a indústria está num momento favorável em voltar a discutir a questão da brasilidade como diferenciação e identidade dos produtos cerâmicos para revestimento”, falou. Ele ainda explicou que o CCB há 15 anos discute, em seus projetos de pesquisa, a questão da identidade brasileira como ferramenta e inspiração para o design de produtos, mas talvez agora seja um tempo mais oportuno, no qual o Design passa a ser visto de forma mais estratégica nas empresas do setor. “Justamente, no Fórum de Design, poderemos trazer experiências de outros setores que já se utilizam da identidade brasileira como diferencial de suas marcas e produtos, tanto no setor produtivo, quanto acadêmico”, falou.

A programação do Fórum terá início no dia 21 (terça-feira), às 8h15, com o credenciamento e as boas-vindas e, como palestra de abertura, terá a diretora técnica no Centro Brasil Design, Ana Brum, que abordará o tema “Tendências do Design que Impactam os Negócios”. Logo às 9h30, o consultor de Estratégia Internacional, Design e Planejamento do Centro das Indústrias de Curtume do Brasil (CICB), Rafael Andrade, falará sobre “Design Colaborativo e Parcerias Setoriais”. Ainda pela manhã, às 10 horas, os diretores e fundadores da FURF Studio, Rodrigo Brenner e Maurício Noronha, vão discutir sobre “A Democratização da Autoestima” e, após um café, às 10h50, o especialista em Adobe Photoshop, Adobe Certified Expert e diretor do Grupo PhotoPro, Alexandre Keese, vai falar em sua palestra sobre “Photoshop e suas Novidades”.

Continuando a diversificada programação de palestras do Fórum, em seu primeiro dia, após o almoço, às 14 horas, a sócia diretora da ps2 Arquitetura e Design, Flávia Nalon, abordará em sua palestra sobre “Design Gráfico: do papel ao espaço” e, às 14h50 o coordenador do Núcleo de Design da Faculdade de Belas Artes, Fernando Laterza, vai conceituar sobre “O Papel das Bibliotecas de Materiais no Ensino do Design hoje: materialidade, identidade, desafios e perspectivas”. Para encerrar a programação do dia, o diretor da empresa Projetos e Produtos Arquitetura e Design Ltda e Coordenador do Curso de Design da UNESC/Santa Catarina, João Reith, ministrará a palestra “Novos Paradigmas no Design: experiência profissional e acadêmica”.

Abrindo as palestras do segundo dia do Fórum, no dia 22 (quarta-feira) a diretora do Studio Edelkoort/ Trende Union Brasil, Lili Tedde, vai falar sobre “Bloom Brasil”, às 9 horas. Às 10h10, a business designer, especialista em marketing, design de móveis e design emocional, Glaucia Binda, ministrará a palestra “Interpretando Macrotendências”. Em seguida, às 11 horas, será a vez da diretora da Living Design, Mônica Barbosa, falar sobre “Tendências do Morar”. Ganhadora do Prêmio Aspacer de Design de 2017, a gerente de design da Cerâmica SAVANE, Kuka Pacheco, contará um pouco cobre sua experiência como ganhadora com o tema “O Prêmio e a Viagem”, às 11h30.

Após o almoço, às 13h30, o diretor da Agência Cross e professor da UNIMEP/ Piracicaba, Renato Elston, falará sobre “Identidade de Lugar para Potencializar Negócios”. Às 14h10, a designer de produto e professora da PUC Campinas, Maria Beatriz Ardinghi, além de palestra, oferecerá o workshop sobre Identidade e Criatividade”, junto ao artista plástico e professor da UNIMEP/Piracicaba, Camilo Riani.

Encerrando a programação do 7º Fórum Nacional de Design para Revestimentos Cerâmicos, às 16h30, a Aspacer abrirá a visitação para os painéis do Prêmio e, às 17h30, o cofundador e CEO da Tátil Design e Ideias, Fred Gelli, falará sobre “Design e Inovação”.

Mais informações sobre os cursos, palestras, a programação e as inscrições no link: http://www.aspacer.com.br/participe/cursos-e-palestras/

Sobre o 6ª Prêmio Nacional ASPACER de Design

A premissa do Prêmio, desde sua criação, no entanto, foi a de criar um espaço onde o profissional do Design fosse valorizado, pela sua criatividade. E essa é a maior importância do Prêmio para os profissionais, onde eles poderão demonstrar seu potencial criativo. “O setor só tem a ganhar com o Prêmio, uma vez que por meio do processo criativo dos desenvolvedores e designers despontam-se tendências e novas possibilidades de produtos cerâmicos para revestimento”, continuou Serafim.

Todo ano, segundo ele, a expectativa é que o Prêmio seja mais abrangente, com empresas representativas de outras regiões do país, o que de fato está se concretizando. “No mais, quem faz a diferença no Prêmio são os participantes, que ano a ano vêm apresentando painéis cada vez mais elaborados”, finalizou.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *