Normalização das placas cerâmicas entra em Consulta Nacional pela ABNT

 

Está entrando em votação para Consulta Nacional o texto de revisão das normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) de Placas Cerâmicas para Revestimento. O setor adotará na íntegra as normas de métodos de ensaios internacionais, as quais passarão a ser identificadas como ABNT NBR ISO 10545 (Partes 1 a 16). Estas normas foram revisadas pela Comissão de Estudos de Placas Cerâmicas para Revestimento (CE-189:000.001), coordenadas pela superintendente do CCB, Ana Paula Menegazzo.

De acordo com ela, todos os laboratórios e empresas deverão se adequar. “Como relação às normas de métodos de ensaios, são poucas mudanças relacionadas às normas já existentes, mas elas existem e serão essenciais, falou”. Também será revisada a norma de especificação de produtos, a qual será baseada na versão 2012 da ISO 13006.”

 Como funciona a normalização da ABNT

Quando surge a necessidade da normalização de determinado tema, a ABNT encaminha o assunto ao Comitê Técnico responsável, onde será exposto aos diversos setores envolvidos. Uma vez elaborado o Projeto de Norma com o assunto solicitado, ele é então submetido à Consulta Nacional. Neste processo, o Projeto de Norma, elaborado por uma Comissão de Estudo representativa das partes interessadas e setores envolvidos com o tema, é submetido à apreciação da sociedade. Durante este período, qualquer interessado pode se manifestar, sem qualquer ônus, a fim de recomendar à Comissão de Estudo autora a aprovação do texto como apresentado; a aprovação do texto com sugestões; ou sua não aprovação, devendo, para tal, apresentar as objeções técnicas que justifiquem sua manifestação.

O objetivo da normalização é o estabelecimento de soluções, por consenso das partes interessadas, para assuntos que têm caráter repetitivo, tornando-se uma ferramenta poderosa na autodisciplina dos agentes ativos dos mercados, ao simplificar os assuntos, e evidenciando ao legislador se é necessária regulamentação específica em matérias não cobertas por normas. (Fonte:site ABNT)

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *